terça-feira, abril 04, 2006

Navegar

 
Foto - Jorge Moreira

11 Comments:

Blogger aprendiz de viajante said...

Este comentário foi removido por um gestor do blogue.

11:30 da tarde  
Blogger aprendiz de viajante said...

Bem ao meu estilo...linda, linda, linda...simplesmente!

11:30 da tarde  
Blogger Lagoa_Azul said...

Bem lindissimo...fico sempre sem saber que escrever para definir tuas fotos...

Sei que acabo por me repetir..

Beijos de boa tarde, com carinho

2:06 da tarde  
Blogger Lagoa_Azul said...

Bem lindissimo...fico sempre sem saber que escrever para definir tuas fotos...

Sei que acabo por me repetir..

Beijos de boa tarde, com carinho

2:08 da tarde  
Blogger Maria Costa said...

Que Ouro... lindo!

TBF.'.

9:20 da tarde  
Blogger tecum said...

maravilha!

serena, doce Páscoa.

bj

10:50 da tarde  
Blogger Rose said...

Jorge,
por isso que roubo tuas fotos e faço a arte dos meus poemas com elas, porque são deslumbrantes e são poemas em forma de imagens.
abraços

2:37 da manhã  
Blogger Janelas da Alma said...

Ó Jorge, que maravilha!...
Que contraste maravilhoso!
Já aqui não vinha há uns dias, por motivos que conheces, mas agora que voltei, não podia deixar de comentar nesta tua última série de fotos, todas fabulosas!

Um Abraço,

Nuno Osvaldo

5:00 da manhã  
Blogger Desambientado said...

E quem é que navega em águas douradas?

Lindissima.

1:34 da manhã  
Blogger Berenice said...

E eis que, por artes da Lua-Feiticeira, sua irmã, toda a emoção, toda a tranquilidade e toda a solidão das estrelas se dissolvera sobre o lago, e Ela, vestida de negro e ouro, acabara de chegar.
Mas era tarde. O barco estava já vazio. O Viajante já se tinha recolhido para renovar as energias recebidas de seu pai, o deus-Sol, e para voltar na madrugada.
Apesar de todas as magias, Ela chegava sempre tarde, em cada dia.
E, gémeas as suas almas, incansáveis numa vã procura, numa eterna navegação, sonhavam com o momento mágico em que, talvez numa outra era, noutra galáxia, numa outra esfera, quando disso fossem merecedores, se haveriam de encontrar...
Enquanto isso, e sem a consciência de que se revezavam consecutiva e repetidamente, Dia após Noite, Noite após Dia, completando-se, lá iam inspirando, cada um à sua maneira, os homens e as mulheres daquele planeta azul, que também eles ansiavam pelo seu verdadeiro Amor...

2:19 da manhã  
Blogger LusitanaPaixão said...

Navegar é preciso.

8:12 da tarde  

Enviar um comentário

<< Home